Aller en haut de page

Notícias

PASTOR JEAN RADINE ENDJANDJI DA ÁFRICA CENTRAL (01.01.2018)

Pastor Jean Radine Endjandji da África Central (01.01.2018).

Jean Radine Endjandji é meu nome. Eu sou centro-africano, vivendo numa cidade situada no este, a 385 km da capital (Bangui), eu era pastor das igrejas cooperativas evangélica. Eu já era um grande perseguidor do profeta Philippe KACOU, durante dois anos. Minha última publicação contra os seus discípulos foi esta:
"Vocês os crentes de KACOU, atribuem-se um nome para nós sempre compararmos vocês com nós os cristãos, chamam a vocês mesmos ou de: kacouistas, kacoutiers, kacouphilipianos, ou outros," 
tudo isso na ignorância pensando que eu estava na razão e nesse dia eu recebi muitos "gosto" e aquilo orgulhou-me. Mas um dia, eu queria baixar o aplicativo oficial do livro de Philippe KACOU com a intenção de descobrir umas palavras e virá-las contra ele como eu havia feito com o Corão. Mas infelizmente, quando eu lia os primeiros capítulos, eu estava muito muito irado mas alguma coisa pôs-me a continuar com a leitura. Eu continuei com a leitura, eu descobri mais verdades que existe em nenhuma parte. Foi assim que eu procurei o endereço do profeta e eu pedi-lhe perdão, e eu abandonei a minha carreira de pastor para retomar a zero com ele. Na realidade, aqueles que continuam a criticar muito este profeta só estão a acumular o seu pecado. Ouçam primeiro este profeta ao lerem todos os seus 128 capítulos antes de julgarem. Eu digo a vocês, em verdade, que todos aqueles que deixam o islão para uma igreja ou que deixam uma igreja para o islão só estão a trocar de prisões. E para todos aqueles que endurecem o seu coração para lutar contra o profeta e a sua mensagem, eu peço-lhes, como o profeta disse, para tomarem o sangue de uma cobra que rasteja na mata e tomam o seu sangue, façam o teste de DNA, provem-nos o resultado, se vocês não são realmente o filho da serpente. Caros amigos, é em vão exibirem-se na média, melhor ter vergonha aqui em baixo e herdar o paraíso do que orgulhar-se e ir ao inferno. O livro de Philippe KACOU é como um percurso agitado que todo o mundo tem dificuldades de arar. Mas para aqueles que empenham-se a arar apesar das rochas que os ferem, eles descobriram um depósito de ouro, diamante e todos os tipos de riquezas do subsolo. Eles estão a tornar-se mais ricos ao ponto que aqueles que escolheram o chão maço vêm mendigar-lhes. Eu falei. Eu estou a espera do insulto dos filhos do diabo. 

( A fotografia abaixo, o primeiro culto no domingo 31 de Dezembro com as pessoas que seguiram)